Branquela Sem Sentimentos

depre

Enquanto a luz do sol acabava com minha visão, ela ria de mim:

— Você ‘tá muito estranho com esses óculos redondos.

Fiquei calado e ela continuou rindo; algo, digamos, pitoresco, pois ela não ganhou a fama de ser estressadinha por ser de bem com a vida. É bom vê-la rir…

Tirou um picolé de dentro da bolsa e deu uma mordida, reclamou que doeu os dentes e jogou fora. Avistamos um par de cadeiras, que ela disse ser de carvalho, bem no meio da rua uns trinta metros de nós. Ela correu pra chegar primeiro. Sentamos. Comentei que nunca tinha visto de perto algo feito com madeira de carvalho e então ela disse que o carvalho daquelas cadeiras era da Iugoslávia.

— Mas não existe mais Iugoslávia.

— Você que pensa. Ela continua lá.

E explicou a existência da Iugoslávia e sua relação com a independência da República Oriental do Uruguai dos Emirados Árabes Unidos… Nunca imaginei que ela pudesse falar tanto. Sempre quis que ela falasse muito, mas nem sempre fui bem sucedido nas minhas tentativas de deixá-la à vontade. Naquele dia ela estava bem falante e eu estava gostando daquilo.

A nona dela apareceu com um chimarrão na mão dizendo não aguentar mais o gosto, estava enjoada de chimarrão todos os dias, e aproveitou para alertar a chegada do primo. Mal a simpática senhora tinha acabado de falar, eis que surgia o tal primo trazendo sua melhor amiga num carro de mão. A amiga não parecia estar muito contente e disse com sua voz meio rouca:

— Eu te deixo recado e você nem vê! Você é muito distraída!…

E foi interrompida por um rapaz meio gordinho que vinha andando apressado e falando alto, chamando a moça de voz meio rouca que foi com calma ver o que tanto ele queria. Minha amiga me puxou pelo braço e, já estressada, convidou-me a conhecer uma guria passo-fundense. Atravessamos a rua, ela bateu palmas, e a tal guria abriu a porta:

— O filme está em pausa desde ontem. Pensei que você não viria mais.

Empurrou-nos para dentro de casa, sentou-se num sofá no centro, eu sentei num da direita e minha amiga deitou-se no mesmo sofá que eu pondo a cabeça em meu regaço.

Com um caderno, um livro e uma caneta na mão, a guria passo-fundense não me deixava entender se ela via o filme ou se estudava. Já a Branquela Sem Sentimentos continuava a falar várias coisas que eu deixei de prestar atenção quando me distraí fitando seus olhos que estavam voltados ao teto enquanto gesticulava ao falar, aparentemente, aborrecida. Eu mexia em seus cabelos pensando em como aquela Branquela me ajudou por todo esse tempo. Sempre que precisei, e chamei, ela esteve comigo, e quando teimoso preferi não chamar pensando em não incomodar, ela parecia sentir e conversava comigo por horas sem nem saber direito do que estava se passando e com suas frases de pouca paciência me fazia rir e esquecer por uns instantes o que me preocupava. De um lado, alguém que reclamava de tudo, do outro, alguém que sempre está cansado de tudo, os dois lados estressados com a vida, permanentemente.

Dei um beijo em sua testa e continuei calado, passando os dedos por entre seus cabelos, até que ela parou de falar e dormiu. Foi a primeira vez naquele dia que ela ficou quietinha sem falar. Vez ou outra se movia daqui ou dali, mas estava bem serena. Não sei se ela gostava de ser serena, mas aquela imagem me passava a ideia de que ela estava em estado de paz; parece que só dormindo essa esquentadinha fica de bem consigo mesma — parece, pois pelo menos os sonhos daquele sono não aparentavam ser ruins.

O quê eu poderia fazer pra estender aquele bem estar dela pra quando acordasse? Ela nem me deu tempo de pensar, levantou num pulo e começou a procurar um relógio. Sua mãe apareceu reclamando que “você esqueceu de acertar o relógio de novo!”, e ela, confusa, apressada, procurava o relógio para acertar a hora:

— Ah, mãe! Não tenho tempo. É normal que eu esqueça. Você não vai ajudar muito onde está!

— Você nunca lembra das coisas! Da última vez deixou o pé esquerdo do tênis na URI e está lá até hoje…

Alguém bateu numa porta me chamando. “Como assim?! Ninguém me conhece aqui!”. Era a voz da minha avó:

— Vai pra universidade hoje não, é? Já são nove e meia!

Olhei para um lado e depois para o outro… Droga! Estou em Pernambuco.

“Este texto foi escrito baseado em sonhos!”

luan dqta

Anúncios

Quem me dera, amor …

tumblr_lu266ehJX51r2429h

 

É.

É totalmente estranha essa forma como você fala comigo, me convencendo de suas conversas e me envolvendo no seu papo de bom moço. Mas vamos parar por aqui, afinal já sofri muitas vezes e não quero sofrer mais uma vez e machucar a única coisa que me mantém viva.

É estranha essa forma de como você me agrada, me faz feliz, e me faz lembrar de todos os momentos em que passamos juntos naquela noite de domingo no fim de semana passado.

Tudo o que eu quero é tentar esquecer tudo, mas as palavras são mais fortes dentro de mim e o que eu mais me convém  é poder te contar de como fui feliz ao teu lado, e como estou me sentindo atraída pelo seu abraço que me conforta por um mundo inteiro.

É se você soubesse o que acontece dentro de mim, saberia que quando você passa, a cara que eu faço de desprezo não é a mesma que meu coração faz, o que ele faz mesmo é pular de alegria quando você está por perto.

Tem mesmo é muita coisa me prendendo e o que mais tenho medo é de me apaixonar loucamente e sofrer desesperadamente por alguém, afinal isso já aconteceu tantas vezes , que já até perdi as esperanças de encontrar alguém que seja só meu por algum tempo, ou por uma longa data.

Tudo o que eu mais queria mesmo é sentir a sua barba roçando no meu rosto, e sentir-me perdida nos seus braços, poder brincar com o seu piercing e podermos zoar juntos a tarde inteira um do outro.

Sempre sonhei isso, poder encontrar alguém que me entenda, que possa ter brincadeiras como um casal fora do comum, um bater no outro e fazer carinho depois, pena que muitas coisas estão fora da realidade e tudo o que eu queira possa estar longe de se alcançar, ou possa estar longe de ser conquistado.

 

-Depois Que Tudo Aconteceu…

Sonhos e imaginação…

tumblr_m7dct6Yy8o1qzl4lb

 

É como se fosse numa noite bem fria, tudo estava voltado para o lugar onde ascenderiam a tão esperada fogueira.

Era inverno e lá estava eu sentada num banquinho em frente a fogueira com um espeto de marshmallow  sendo derretido ao fogo que me esquentava. Foi então que percebi que os violões estavam sendo tocados e eu era entoada conforme as batidas das musicas, e tosas elas me faziam lembrar de que o meu sonho era estar em uma cena como aquela.

Era como estar  no céu e estar junto com as outras estrelas e perceber que juntas formamos uma constelação linda e tudo o que imaginamos pode acontecer, menos aquilo que se pode tornar real.

Então comecei a imaginar todos os meus sonhos, fui criando cenas e me encaixando em todas elas, como se o que eu pensasse realmente acontecia, era mágico mais absurdo, pois sei que essas coisas nunca poderiam ser encenadas na vida real.

Acordei e vi que meu marshmallow tinha  ficado preto, pois passei tempo demais imaginando e criando cenas numa mente fértil, que mais tarde poderiam atuar em meus pensamentos.

– Depois Que Tudo Aconteceu…

Sonhos são estrelas

tumblr_m1ezi4NgHR1r0k9geo1_500

 

Um dia, lá estava eu andando pelas inúmeras ruas de São Paulo, e me deparei com à uma praça, uma praça linda, repleta de flores, diferente de muitas outras que já havia encontrado. Observei então um casal de velhinhos que estavam simplesmente aproveitando os momentos da vida. Para eles poderiam ser os únicos, ou os últimos, mas sim para nunca se esquecerem.

Anoiteceu então, continuei andando e observando mais, e me esbarrei em uma estátua, mas não é uma estátua de verdade e sim aquelas que apenas fingem ser, para ganhar algum dinheiro para o seu sustento. Coloquei por fim uma moedinha e saí, sem rumo, mas com vontade de voltar para o meu lar.

Foi que então, quase que já tinha esquecido o porque estava andando sem rumo, me parou um rapaz, de bom porte, bonito até, e começou a dirigir-se a palavra até mim:

– Boa Noite Moça!

Eu toda assustada  e me perguntando, o porque que aquele cara estava falando comigo e continuei andando.

– Só queria te dizer uma mensagem – insistiu

Então resolvi dar atenção para o “bom” moço e o respondi:

– Oi pode dizer…

E ele começou de um bonito tom a declamar

-Então observei que você estava ajudando aquela estatua, e senti que deveria lhe dizer… Olhe para o céu e observe as estrelas, e veja quantas tem, e veja que tem muitas. Pois é cada estrela representa os seus sonhos, e a quantidade delas representa o tamanho de cada um deles. Se perceber verá que as estrelas formam imagem, e cada uma possui um tamanho diferente, algumas  grande outras pequena, isso mostra que seus sonhos são grandes e que cada um tem seu jeito e modo certo para conquistá-los e realizá-los, mas para chegar até eles é preciso batalhar e lutar para que consiga realizar, e subir um degrau de cada vez, sem pular nenhum, da escada da vitória.

Quando percebi, havia muitas pessoas atrás de mim, escutando o que o moço dizia, no final todos aplaudiram, e eu o abracei e agradeci pelas palavras, logo depois entrei no metrô rumo à minha casa.

Fui embora com um sorriso no rosto, parecia que aquilo era tudo o que eu precisava ouvir, era tudo o que eu procurava naquele dia. E essas palavras me tornou cada vez mais forte para poder construir e realizar mais sonhos.

Se um dia me perguntarem, o que são as estrelas? Apenas direi, são sonhos.

Os: Essa história é fictícia, espero que tenham gostado, e peço para que aproveitem seus sonhos.

Há e sobre o casal de velhinhos, a moral fica, aproveite a vida enquanto é tempo, divirta-se, mas procure sempre realizar-se dentro  e fora de si. Pois o amanhã nunca se sabe o que pode acontecer.

– Depois Que Tudo Aconteceu…

Desejos para o Verão…

 

E quando o verão chegar eu vou mudar, tudo vai ser diferente, o ano vai passar, e a vida sera somente uma mágica. Vou aproveitar o máximo, me isolarei pra pensar, me divertirei e chorarei.

Quando o verão chegar eu vou me emocionar, pois sera uma mudança difícil, pois é quando chegam as responsabilidades, as injustiças de um mundo fantástico e cruel. Oh verão ! Traga-me alegrias, para que eu possa sorrir e ter a segurança de um sonho.

Traga-me o sopro da brisa que bate nos olhos, que fazem brilhar, que fazem sorrir e chorar. Traga-me palavras do vento, para que ele possa me aconselhar, e me mostrar que a vida ja ta ganha, basta continuar…

Como um guerreiro na terra eu quero estar, disposto a sempre lutar, mas lutar pelas conquistas, pelos desapegos, pelos amores e pelos desejos.

No verão serei apenas eu, como sempre digo, sentir-se só, é sentir-se livre, pois estar com alguém te trás uma prisão daquelas que depois te deixam na solidão e sem ânimos de procurar lugares que possam te fazer alegrar.

Termino aqui o poema de verão, para que você abra seu coração e deixe o vento cantar…

 

-Depois que Tudo Aconteceu…

Desejos e sonhos, menos você !

 

Hoje. Quero muito te encontrar, e poder te dizer tudo o que estou sentindo, queria muito poder te abraçar e sentir que posso confiar que você irá cuidar de mim, do jeito que eu mereço, da forma que eu preciso.

Queria muito poder te beijar e sentir seus lábios encostados aos meus, lábios tremendo de vontade, abertos por um desejo , e não querendo se desgrudar por mais tarde sentir saudade.

Talvez meus desejos não sejam aceitos, e seja só uma obsessão ter-te aqui. Sonho com motivos, com possibilidades, mas por mais que eu tente esquecer lá vem algo que me leva até onde você esteja.

Hoje não foi por desejo, mais sonhei com você, foi tão perfeito, pena que sempre na parte melhor ou algo estraga, ou agente acorda. É preferi acordar, pois me trouxe a realidade e percebi que estava apenas sonhando.

Sonhei que você me salvava de uma grande besteira e no final ficaria quase tudo bem. Mas nós mesmos controlamos os nossos sonhos às vezes, e fazemos com que eles não sejam tão perfeitos assim.

Só queria que ainda soubesse que ainda estarei aqui pra você, estarei te esperando, estarei,  apenas estarei…