Ausentar…

tumblr_momlwyDyYA1s5keexo1_500

Ausentar (1. Verbo transitivo direto e pronominal; afastar(-se) de determinado local por tempo limitado; retirar(-se).)

Por tempo indeterminado estive longe, e o coração pedia para a escrita ser exercida, mas a mente estava longe buscando outras responsabilidades. Durante esse tempo longe da escrita, estive mais como expectador, do que como escritor, e finalmente descobri o motivo pelo qual ainda possuo redes sociais.

Redes Sociais (“estrutura social composta por pessoa ou organizações, conectadas por um ou vários tipos de relações, que compartilham valores e objetivos comuns”). Diariamente somos esquentados por um assunto em que a mídia resolve tratar, e foi nessa parte que ativei o meu cérebro para prestar atenção na opinião de cada um. Dos assuntos que mais foram tratados nos últimos dias como liberação do Casamento Homossexual nos EUA e o mais recente Redução da Maioridade Penal, o que me comove não é a falta de conhecimento, e sim o valor que o outro tem. O ser humano se mostra no dia a dia, incapaz de se colocar no lugar do outro e saber a dor que cada um sente.

Resolvi me calar durante minhas observações, pois a cada discussão que tive só me fez ficar indignada em quanto o governo deveria investir mais na educação. Não estou culpando apenas o governo, pois tem muita gente que não colabora para o exercício do próprio conhecimento. Percebi o quão importante foram àquelas aulas de história e sociologia durante todo o meu período escolar. Dói-me ver o egocentrismo tomando conta das pessoas e acharem apenas a própria opinião correta e não pensar na do outro.

Respeito, isso que falta bastante no nosso mundo, vivemos onde existem opiniões contraditórias, opostas, mas ninguém respeita as demais. É preciso respeito não apenas com as opiniões, e sim condições, opções. O ato de escolher é totalmente importante na vida de alguém, pois é ele quem vai dizer quem cada um é, não sendo diferente para quem possa ser.

Medo é isso que as pessoas estão tendo, medo de mostrar para o mundo sua opiniões, medo de transformar a realidade em que vive, medo de se expor. Isso é preocupante, tudo está virando ato de violência, ou uma nova “fobia” para acrescentar nas leis. O julgamento dos outros estão sendo mais ouvidos, do que as sementes que vivem em nós e precisam ser floridas mundo afora.

Conhecer política e religião me fez perceber que são coisas totalmente distintas e não devem ser misturadas como alguns representantes têm feito, o que é errado. Se vivemos em um país laico devemos saber distinguir o que a nossa religião prega, dos direitos de toda uma sociedade.

Encerro  indignada com os rumos que o nosso país vai levando, não estamos tendo apenas uma crise econômica que têm nos deixado com poucos centavos, estamos também na crise política, social, cultural. Devemos pensar mais em nossas atitudes, nos verdadeiros rumos que queremos que o nosso país siga. É nisso mesmo que queremos viver? Precisamos de liberdade para expor nossas ideias e ampliar o conhecimento para melhoria da nação.

Precisamos de paz… Essa guerra sem fim não nos leva a lugar algum, só nos prega ódio.

lkjh

A polêmica pelo ato de amar

casalboticario

Tudo que eu queria era fugir dessa opinião comum, mas, me comoveu o fato de como um simples comercial afeta a vida das pessoas. Já pararam pra pensar de que a vida para e tudo se volta para algo que não deveria fazer tanta diferença na vida, no pensamento, na educação de alguém? Poderia dizer muitas coisas, mas os pensamentos de algumas pessoas que se pronunciaram se coincidem com o que eu penso, e acabaram falando o necessário para que os leitores captem a mensagem.

O grande assunto do momento foi o comercial da marca de cosmético O Boticário, em que há casais tanto heterossexuais como homossexuais, o que causou um falatório danado. Não estou aqui pra dar crédito a marca nem muito menos impor que alguém compre produtos, pois não bastou de uma vantagem midiática para atrair consumidores, o que sempre fazem em épocas em que se comemoram algo. Alguns conservadores resolveram se manifestar contra e houve até campanha para boicote e abertura de processo no Conar, o que a meu ver não vai adiantar muito, o máximo que vai acontecer é a paralisação do comercial que não deveria. Mas para informar muitos os homossexuais não irão sumir do mundo.  Essa é só mais uma de um monte de oportunidades que a sociedade vai ter em acostumar-se com o fato de que o “diferente” também é GENTE e tem o mesmo direto do que um hétero.

As pessoas estão criando um preconceito dentro de si próprias incapazes de aceitar o outro como é independente de sua condição sexual, cor, classe social. O que vemos todos os dias é que cada ser vivente dentro de uma sociedade é rotulado como alguém, seja ele o pobre, o “viadinho”, a “neguinha ou o neguinho”, os filhos da faxineira, o “playboy”, o crente,  seja lá o que for, mesmo que não assuma cada um tem um preconceito formado sobre alguém. Além de educar quem vive ao redor com um julgamento ridículo, estamos formando pessoas cada vez mais sem respeito ao próximo, e ainda dizem conservar a tradicionalidade de uma família. Onde está o amor? Se acha o suficiente bater no peito e assumir o que é, porque não educar as crianças a respeitar todo e qualquer tipo de pessoa? Porque o coleguinha de classe pode se assumir futuramente, porque a amiguinha se veste como menino pra ir pra escola, porque e porquês… Então não tirem as crianças da sala, porque isso é exemplo, exemplo esse que quando estiver conhecendo o mundo sozinha vai querer entender, e visualizar mundo afora o que chamam de “esse tipo de coisa”.

É vergonhoso em pleno século XXI em que as pessoas que acompanharam o início da modernidade, fechassem a visão para coisas que sempre esteve presente no mundo, mas nunca foi tão explícito como agora. O que me admira Oswald e Mário de Andrade, Tarsila do Amaral, entre outros artistas que estiveram na semana da arte Moderna, mais conhecida como “Semana de 22”, em que muitos artistas foram julgados por demonstrar o ponto de vista sobre as crises que aconteciam na sociedade que eram impossibilitadas de serem reveladas ao público.

Independente da forma em que viveu, como foi criado ou a que religião pertence, as pessoas não precisam que você seja um grande amigo, mas que independente das coisas que acredita, aceite de forma justa o que cada um é. Ultimamente as pessoas tem tido medo de ser o que são por causa do preconceito do outro,e não é a esse ponto que devemos chegar. Se você que acredita em um Deus, e dentro da religião diz que se deve amar o próximo, e você exclui o ser por causa do que ele é, desculpa você simplesmente está violando o que acredita, o que me faz pensar em que Deus é esse? Ou o que a sua bíblia diz? Quem me garante que na época de Jesus não existia homossexuais? Quem somos nós, pra julgar alguém?

Hoje vi uma postagem que até já estava na ideia de compartilhar sobre comerciais que passaram em TV aberta ou foram expostos na rede, mas alguma mente brilhante já tinha feito isso.  O tumblr : Aproveita e Boicota Também,  registram marcas como a Google (sistema operacional android), MC Donnald’s, Disney Pixar, Apple, Burger King, Coca – Cola, entre outras, que não se acomodam e defendem a visibilidade dos homossexuais.

Confira alguns comerciais:

Vai ter abraço afetivo sim! Vai ter manifestação de amor sim! Vai ter beijo homossexual sim! E se reclamar vai ter mais ainda!

A Motorola também se pronunciou criando uma animação colorida de uma passeata cheia de fofurices defendendo e celebrando a diversidade, essa semana a empresa divulgou a campanha #EscolhaOAmor . Tudo isso sabe por quê? Domingo dia 07/06 haverá a passeata, mais conhecida como Parada do Orgulho LGBT, na avenida Paulista em São Paulo. A empresa irá instalar pontos de WiFi e fazer a distribuição de anúncios no trajeto .

 

lkjh

HollySiz – The Light

clipe-holly619

Percebemos que ultimamente grandes assuntos têm tomado conta da mídia, e até mesmo uma conversa entre a sociedade. Dentre esses assuntos se encaixam a identidade e gênero de inúmeras pessoas que nos cercam.

Vivemos em um mundo em que não existe um padrão certo a ser seguido, e é importante lembrar e ressaltar que não se pode viver de padrões. Podemos analisar que em muitas famílias o conservadorismo está sendo deixado de lado, e tem aberto a mente para as grandes transformações que o mundo gera. Na verdade muitas coisas já existiam, mas nunca foi tão debatido como agora.

Pessoas é disso que devemos ter em mente ao ver qualquer ser que habita e vive, pois além do que ele veste, do que mostra pra sociedade o que é, e antes de julgar, devemos lembrar que é uma pessoa, assim como todas aquelas que vivem ao seu redor e você o aceita por encaixar no seu “padrão de vista”. Hoje em dia o número de pessoas transsexuais tem aumentado muito, e antes de qualquer preconceito vir a tomar conta de ti, procure ao menos saber a história de cada um, pois depois que aprendemos a conhecer melhor as pessoas, qualquer impressão pode ser quebrada.

É admirável qualquer pessoa que têm a coragem de assumir aquilo que é, aquilo que sente, não importa a idade, tamanho, problemas que vão enfrentar para a aceitação, mas só querem ser livres naquilo que sentem-se bem. É preciso que a sociedade se acostume e ao menos respeite qualquer tipo de pessoa.

6a00d8341c730253ef01bb078fb93a970dO clipe da banda francesa HollySiz, The Light nos convida a abrir os olhos para isso, onde uma criança trans, não tendo medo do que é, se assume desde cedo, usa vestido nos seus dias inclusive para ir à escola, e enfrenta preconceitos de seus colegas e inclusive de seu próprio pai.

A música que em sua tradução quer dizer “A Luz”, mostra que podemos enxergar além, que podemos acreditar em nós mesmos e podemos mudar. O título e a tradução se conduzem de uma sintonia que se pode dizer que as pessoas têm luz, e é nisso que temos que acreditar.

O final do clipe é bem emocionante e vale a pena assistir até o final, pois apesar de dentro de nós ainda ter um pré-conceito, podemos aceitar as pessoas do jeito que são. E o amor pode nos ensinar tudo isso.

lkjh

Afinal, o que é Natural?

large

Não há constrangimento num abraço, num aperto de mão, num beijo… mas de sexo não se fala.

É como se ninguém fizesse, ou se ninguém gostasse de fazer. Quem faz decerto gosta e quer continuar fazendo, quem não faz é por algum motivo, mas com certeza gostaria de fazer — estima-se que apenas 1% da população mundial foge à regra (pelo menos os que admitem), mas isto não vem ao caso. O que é preciso notar é que parece que não se aceita que as pessoas tenham desejos sexuais, o assunto é reprimido mesmo nas metrópoles.

Pensa bem: os nossos sentimentos não podem ser encarados como algo adquirido? Você é ensinado a amar desde pequeno, por exemplo. Não se nasce amando, e se não fosse a cultura na qual você vive, será que você amaria? O que é o amor? (…) E o sexo? Não seria algo natural? Desde que o mundo é mundo que se faz sexo — dá pra notar pelo fato de a maior parte das reproduções serem sexuadas —, antes mesmo do primeiro abraço “de carinho”, ou do primeiro aperto de mão “de saudação/cordialidade”, ou do primeiro beijo “por amor” da história da humanidade. Já parou pra pensar nisso?

Uma pergunta que chocaria muita gente seria: você estranharia uma abordagem “você é muito atraente fisicamente, já te disseram isso? (…) Vamos transar? Você é gostosa(a)!”. Chocaria muito mais se a resposta fosse: não, acho supernatural.

Calma! Não saiam por aí dando para/comendo tudo mundo. Vivemos numa sociedade em que isso, explicitamente, não daria certo… explicitamente. Além domais, é preciso muita maturidade para aceitar os desejos, satisfazê-los, e não ficar com peso de traição. Maturidade para ambos.

“Confio em você, confio que você vai agir de determinado modo, pois assim combinamos, assim ficou acordado, mas, nós encaramos sexo como algo natural, não é? Ou melhor, concordamos que o desejo sexual é algo normal, e que mesmo tendo compromisso um com o outro, vemos naturalidade e como inevitável o desejo que em algum momento você terá de transar com outro, e que eu também terei desejo de transar com outra, simplesmente por estar com vontade, por nos sentirmos atraídos, nada mais… E se você se apegar sentimentalmente? Paciência. Não sou seu dono, você não é minha propriedade; se está bem comigo, ótimo, fica comigo, mas se julga que estará melhor com outra pessoa, tudo bem, a vida é sua. Pode ser que isso aconteça e eu ainda queira estar com você, mas sua felicidade deve vir sempre em primeiro lugar nos seus planos; vai, vai que daqui eu cuido da minha… Ah, mas se isso acontecer e algum dia você sentir vontade, ou até saudade, do sexo que fazíamos, se quiser transar, a gente transa. Vai ser o maior… prazer!”

luan dqta