Permissividade

violência-marcos-santos-agencia-usp

Ela se apaixonou perdidamente por ele. Alguns dizem que foi mais desejo de ter um namorado que paixão de fato. Ela diz que as pessoas não sabem o que ela sente, por isso nunca vão compreender.

Ele era muito bom, pelo que ela diz. Era um sonho, tinha ótimas qualidades… O que ela mais gostava era do zelo que ele tinha. Quando os amigos diziam que esse zelo era ciúme exacerbado, ela respondia que não conheciam ele para saber da verdade: a verdade é que era zelo sim, e que era muito fofo.

Com o tempo ela foi se apaixonando mais e mais, e eles a viverem cada vez mais próximos, cada vez enraizando ainda mais o relacionamento. Então ele começou a proibi-la de frequentar alguns lugares, de usar certas roupas, de falar com determinadas pessoas… Começou a controlar as redes sociais, depois conseguiu que ela fornecesse sua senha, e, antes de darem o passo ao ápice do ridículo de terem um perfil pros dois, com direito a foto do casal com o nome dos dois lado a lado, ela se adiantou e preferiu excluir tudo. Privou-se dessa liberdade de ter algo que quer, só pra ele não ficar muito nervoso. Ela não queria estar dando motivos para ele ficar estressado, não gostava de vê-lo irritado e não iria contribuir para tal.

Os amigos, pelo menos os que restaram, alertaram que era jogo dele, mas ela sabia que era apenas o jeito dele de ser, e que ninguém entendia, senão ela, que era quem conviva, afinal. Ele não era controlador, não era esse monstro manipulador que ficam pintando por aí.

Também, ela é muito linda; tinha muito marmanjo querendo dar em cima dela o tempo todo. Dava até pra entender mesmo esse ciúme todo dele.

Ela não sabe ao certo onde a coisa desandou. Acha que os amigos dele botaram pilha. Num surto de ciúme, enfurecido, pelo que não se sabe exatamente, ele cortou todo o cabelo dela dando-lhe bofetadas por todas as partes enquanto ela lutava contra. Ela denunciou à polícia, mas mais por conta da pressão dos familiares e amigos, não pelo seu próprio gosto; e no final acabou se arrependendo da denúncia. É que desse modo não iria ajuda-lo muito. Ele precisava mesmo era de compreensão, e alguém que o ajudasse a superar esse ciúme louco.

Ele pareceu arrependido também e pediu pra conversar come ela, e ela deu uma chance de ele se aproximar.

Ele está armado, e vai matá-la numa briga.

rodapé luan

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s